sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Sub 17 em Beja

A Selecção Nacional de sub-17 vai realizar um estágio de preparação no distrito de Beja, entre os dias 24 e 27 de Janeiro. Os jovens portugueses querem chegar à fase final do Campeonato da Europa da categoria, a realizar na Sérvia, e a estadia no Baixo Alentejo vai ser um dos últimos momentos para o seleccionador Emílio Peixe preparar a sua equipa antes do "tirocínio" que será a Ronda de Elite, que será disputada entre 24 e 29 de Março de 2011 na Holanda. Para Portugal chegar à derradeira fase do Campeonato da Europa tem de ficar na frente do Grupo 2, que integra também as selecções holandesa, croata e austríaca. O estágio dos sub-17 portugueses em terras baixo-alentejanas arranca às 15h00 de dia 24 de Janeiro (segunda-feira) e uma hora depois terá lugar o primeiro treino, provavelmente no Complexo Desportivo Fernando Mamede, em Beja. No dia 25 (terça-feira), pelas 15h00, há jogo no Estádio Municipal 25 de Abril, em Castro Verde, com a Suíça, partida que se repete no dia 27 (quinta-feira), às 11h00, em Beja a fechar o estágio. 

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Panóias tem novo reforço

Tendo já actuado frente ao Despertar o jogador brasileiro Jonas defesa esquerdo, trocou o F.C.Castrense pelo Panóias.

Aljustrelense tem novo reforço

Celestino Ex Casa Pia é o novo reforço do Mineiro Aljustrelense , e já actuou no jogo de Montemor o Novo.

Artigo de Opinião de João Prates sobre a F.P.F.

Como pessoa ligada ao futebol tenho acompanhado a evolução ( ou falta dela) do problema da alteração de estatutos da Federação Portuguesa de Futebol.
A verdade é que não se percebe como é que uma Federação pode estar fora da lei como está a do futebol, isto porque todas as restantes federações alteram os seus estatutos menos a do futebol. Porquê? Parece-me por existir pessoas agarradas ao poder e que não o querem perder e que mesmo com a ameaça do governo e da FIFA as coisas parecem não se alterar.
Vítor Baía a poucos meses disse numa entrevista que assim nem pensava em ser candidato, ou seja, parece-me existir gente credível para fazer mudanças no nosso futebol mas quem lá está actualmente apenas se agarra ao poder esquecendo-se das consequências que estes actos podem trazer para o futebol português!
Uma coisa é certa, as coisas não podem continuar assim e nem vão porque o governo ou mesmo a FIFA terão que tomar uma atitude.
O que é lamentável é que por birras e provas de poder se continue a brincar ao futebol e assim prejudicando cada vez mais uma modalidade que apesar de ser um pais pequeno é uma bandeira do pais onde existe talento e condições para o êxito mas por cá o importante é controlar a arbitragem, os jogos por baixo da mesa e todo esse poder está instituído á anos e é uma pena que assim seja e continuará a ser enquanto não existir uma evolução e renovação do dirigismo português.


Fonte: http://joaopratestreinadorfutebol.blogspot.com/

Glórias do passado e recente XXVII

(Fernando Manuel de Sousa Zeferino, 18/7/66, Portimão)
Guarda-redes

















 


79/80-Torralta------------ini.
80/81-Torralta------------ini.
81/82-Torralta------------juv.
82/83-Torralta------------juv.
83/84-Torralta------------jun.
84/85-Torralta------------II
85/86-Torralta------------II
86/87-Torralta------------III
87/88-Torralta------------III
88/89-Portimonense--------I
89/90-Vianense------------II
90/91-Desportivo Aves-----II H.
91/92-Sourense------------III
92/93-Vianense------------II
93/94-Castrense-----------III
94/95-Castrense-----------III
95/96-Castrense-----------III
96/97-Castrense-----------III
97/98-Castrense-----------III
98/99-Castrense-----------III
99/00-Desportivo Beja-----III
00/01-Castrense-----------III
01/02-Entradense----------Dist.
02/03-Piense--------------Dist.
02/03-Moura---------------Dist.
03/04-Vasco Gama Sines----III-------------
04/05-Castrense-----------Dist.

Guarda-redes formado no Torralta,foi titular
na melhor equipa de juniores do clube, que
lutou pelo titulo nacional com Benfica e
Sporting.Também nos séniores,Abelha fez parte
dos plantéis dos melhores anos do clube,na 3ª
e 2ª Divisões.Só saiu quando o clube foi"anexado"
pelo Portimonense,tendo Abelha,juntamente com
outros jogadores do G.D.T. passado a integrar o
plantel do maior clube de Portimão.
Depois tentou a sorte em clubes do centro e norte
do país,mas regressaria ao sul e fixou-se no
Castrense,onde viria,de resto,a terminar a carreira.
Antiga Gloria do Futebol Alentejano.
Fonte: http://algarvalentejo.blogspot.com

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Morreu o treinador do Farense

JOAQUIM SEQUEIRA ERA ALENTEJANO DE SANTIAGO DO CACÉM


O actual técnico do Farense, Joaquim Sequeira, foi encontrado, esta quarta-feira, sem vida em casa vítima de doença súbita. Joaquim Sequeira, 60 anos, estava há muitos anos ligado ao Farense. Nasceu em Santiago do Cacém e o Farense foi o primeiro clube onde jogou como sénior na década de 70, quando a equipa estava na I Divisão.
No clube de Faro exerceu as funções de adjunto nos anos 90 e meados desta década. Joaquim Sequeira voltou ao Farense no início desta temporada para coadjuvar Joaquim Mendes, mas após este ter saído assumiu o comando técnico da equipa, actual 13ª classificada da Zona Sul da II Divisão. O presidente do Farense, António Barão, ficou chocado com a notícia. «Faro fica mais pobre, o desporto algarvio também fica mais pobre. É uma notícia muito triste. A cidade de Faro perdeu um valor e uma referência».
Fonte: http://antenasuldesporto.blogspot.com/

Campeonatos do Passado: 1969/70, 1970/71 e 1971/72

Campeonato 1969/70

1ª Divisão

FUTEBOL CLUBE SERPA
GRUPO DESPORTIVO CASA POVO PENEDO GORDO
MOURA ATLÉTICO CLUBE (Campeão)
SPORTING CLUBE FERREIRENSE

Campeonato 1970/71


1ª Divisão

DESPERTAR SPORTING CLUBE
FUTEBOL CLUBE CASTRENSE
FUTEBOL CLUBE SERPA (Campeão)
SPORT CLUBE MINEIRO ALJUSTRELENSE
SPORTING CLUBE FERREIRENSE

Campeonato 1971/72


1ª Divisão

DESPERTAR SPORTING CLUBE
MOURA ATLÉTICO CLUBE
PIENSE SPORTING CLUBE
SPORT CLUBE MINEIRO ALJUSTRELENSE (Campeão)
SPORTING CLUBE CUBA
SPORTING CLUBE FERREIRENSE 
Fonte: Distrital Beja

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Paulo Batista leva 17 Mil Euros

Numa publicação do Jornal Nacional Record vem a quantia que diversos arbitros ja ganharam, o Sr. Paulo Batista com as provas nacionais da liga e da F.P.F.e tão bem de Provas Internacionais ja leva a bonita quantia de 17 mil euros , logo seguido por Vasco Santos e Artur soares dias que se encontram acima dos 16 mil Euros.

Portugal acolhe cursos

Dr. Nuno Castro
A Federação Portuguesa de Futebol irá acolher, entre os dias 28 de Março e 8 de Abril de 2011, pela primeira vez o “Refereeing Assistance Programme que incluiu o Curso de Instrutores de Árbitros, o Curso de Preparadores Físicos de Árbitros e o Curso de Dirigentes de Árbitros”.
Depois de ter organizado, em colaboração com a UEFA, o “1º Programa de Talentos e Mentores”, em Lisboa, no mês de Maio de 2009, e o “Curso de Formação de Instrutores e Monitores", em Tomar, durante o mês de Abril de 2010, a FPF voltou a ser convidada para acolher mais três acções no âmbito da arbitragem. O coordenador dos cursos será o observador da UEFA e o membro da comissão de apoio técnico do Conselho de Arbitragem da FPF, Dr. Nuno Castro, que já havia coordenado as duas acções que se realizaram em Portugal..
A UEFA e a FIFA voltam, desta forma, a manifestar toda a sua confiança e reconhecimento pelo trabalho que a FPF e o seu Conselho de Arbitragem têm desenvolvido ao longo dos últimos anos.
Esta será a terceira edição do Curso de Instrutores de Árbitros, tendo as primeiras acções decorrido em Cannes (França) e Madrid (Espanha), enquanto que o Curso de Preparadores Físicos de Árbitros conhecerá a sua segunda edição, depois da acção que teve lugar na capital espanhola. O Curso de Dirigentes de Árbitros será ministrado pela primeira vez.
Nos três cursos estarão envolvidos cerca de 70 participantes que serão convidados pelo organismo máximo que tutela o Futebol Europeu.

GD Amarelejense (Feminino) 2010/2011

 
Fonte da foto:Distrital de Beja

Da base ao topo



O futuro começa-se a preparar ontem, uma frase de um treinador com o qual trabalhei e cada vez lhe dou mais razão ao nível da formação.
O futuro de um clube com menos meios financeiros, principalmente aqueles do interior que é o caso do nosso Alentejo, depende muito daquilo que é feito no seu trabalho de base para quando os atletas atingirem o escalão sénior possam estar identificados com a cultura do clube e não sentirem tanto a diferença na mudança de escalão o que infelizmente ainda acontece.
Para isso deveria ser construído um modelo de jogo e um modelo de treino comum ao futebol sénior, mas aqui alerto para a necessidade de ser o próprio clube a cria-lo porque quando se muda de treinador ao nível sénior, as opiniões mudam, deve ser o próprio clube a criar o seu modelo de jogo e ser-lhe fiel.
Este será sempre um projecto a longo prazo mas que de certeza trará frutos no futuro e para isso acontecer será preciso paciência e uma grande organização.
O que se passa na maioria das vezes é que os clubes não tem um modelo de formação e cada treinador implementa as suas ideias e o único aspecto positivo que encontro neste aspecto, é a diversidade de métodos que as crianças encontram na sua formação que também é benéfico, contudo existe mais aspectos negativos que positivos e prejudiciais a formação dos mesmos.
Na minha opinião o clube deveria criar um modelo de formação, em que cada técnico tendo liberdade para criar os exercícios deveriam trabalhar os conteúdos e a forma de treinar que o clube quer ver treinada, isto em todos os escalões até se chegar a sénior.
Quantas vezes chegamos a um plantel sénior e observamos jogadores muito limitados tecnicamente, eu pergunto, será que esse atleta foi bem treinado na sua formação como atleta?
A resposta dele poderá ser na minha altura era pontapé para a frente...e a verdade é que continua a acontecer vendo-se depois as dificuldades destes atletas á medida que sobem de nível.
Para formar é preciso paciência, capacidade de entender e sobretudo gostar daquilo que se faz!
"Aquilo que somos no futuro, será aquilo que aprendemos no passado."

Fonte: http://joaopratestreinadorfutebol.blogspot.com/

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Analise do campeonato Distrital da 1ª Divisão até ao Momento por Clubes.

Despertar - Clube com um plantel razoável mas tem sido levado ao colo , por isso está no primeiro luigar.
Castrense - boa equipa , muito bem constitruida, teve azar em dois jogos , um deles com o lider , mas nada está perdido.
F.C.Serpa - tem uma excelente equipa não se assumiu como candidato mas tem estado a fazer , um excelete Campeonato.
Vasco da gama - uma equipa ja rodada de épocas anteriores , mas com alguns reforços , está a surpreender.
ROSAIRENSE- a nossa equipa sensação que tem criado tanta polémica aos leitores, é uma equipa sensação e pensamos que ainda tem muito para dar neste campeonato, e desejamos-lhe um bom Ano de 2011,
Almodovar- uma equipa que se tem mantido o mesmo plantel , e anda com altos e baixos., mas a ter atenção a ela.
Ferreirense- uma equipa constituida na maioria por jogadores de fora do distrito e o seu treinador tb , está a fazer um normal Campeonato.
Aldenovense - uma equipa que já nos habituou ao melhor e pior , neste momento está a fazer um regular campeonato , podia estar melhor classificada.
São Marcos- equipa que foi repescada pela desistência do Barrancos , que tinha e ainda tem alguns jogadores de nomeada, como Pitico o seu capitão, esta a fazer um campeonato para a manutenção.
Milfontes - uma equipa que podia dar mais e melhor, pois com a equipa que tem não se justifica este lugar.
D.Beja - a nossa desilusão começaram muito bem , mas com a saida de Nuno Mamede, e de jogadores como João Pepe(FCCastrense) e outros se seguirão e a entrada de Fernando Raposo que para nós não é treinador para este clube, não sabemos o que irá acontecer, está muito mal Classificado.
Bairro da Conceição- equipa constituida por jogadores oriundos do Desportivo, do proprio Bairro e de Outros clubes , que não tem condições para pagar vencimentos,é um clube que nos está a surpreender pela positiva, só querem apenas a manutenção.
Panoias- Equipa de Ourique que foi buscar Estebainha para treinador e alguns reforços tb lutam pela manutenção.
Piense - Outra equipa que está a desiludir, mas pensamos que com a chegada do novo treinador e de alguns possiveis reforços subam na tabela classificativa.

Odemirense de Luto

No passado dia 24 de Dezembro faleceu  um director do SCOdemirense , o Sr Carlos Miguel, o nosso blogue apresenta aos familiares e ao Clube os nossos mais sentidos condolencias.

domingo, 26 de dezembro de 2010

Piense muda de treinador

O Piense deixou de ter como treinador devido aos maus resultados que a equipa tem feito, o Sr. Fernando Moreira já não é o seu treinador , para o seu lugar entrou o Sr. Baltasar Borges, a quem desejamos que entre com o pé direito e ponha o Piense no luigar que lhe é devido.Daqui desejamos  aos Dirigentes do Piense , à sua massa associativa  um bom 2011.

David Costa regressa ao Aldenovense

O Médio Criativo David Costa que já representou o Aldenovense regressa novamente para ajudar o seu Atlético a subir na tabela classificativa e tb dar alegrias à sua massa associativa.
Daqui desejamos um bom Ano de 2011 ao Clube Atlético Aldenovense e a todos os seus jogadores, dirigentes e toda a sua massa associativa.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Atleta do Clube de Patinagem de Beja quer chegar aos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014 Marta Nunes no gelo!


Dedicada os patins há quase duas décadas, a bejense Marta Nunes [ao centro] já foi diversas vezes campeã nacional de patinagem de velocidade.
PATINAGEM. A competir na Holanda, a patinadora bejense dedicou-se recentemente à patinagem de velocidade no gelo.
E se de repente uma baixo-alentejana habituada aos calores de 40 e tal graus que se fazem sentir durante o Verão na região surgisse dentro de quatro anos numas Olimpíadas a patinar… no gelo? O cenário pode parecer pouco plausível, mas é esta a grande meta da bejense Marta Nunes, que sonha estar em 2014 na cidade russa de Sachói ao serviço da Selecção Nacional durante as provas de patinagem de velocidade no gelo nos Jogos Olímpicos de Inverno.
   "Vão ser quatro anos muito duros, em que tenho de me dedicar bastante", reconhece ao "CA" a patinadora de 27 anos do Clube de Patinagem de Beja, não escondendo que já há algum tempo que "tinha vontade" de experimentar esta vertente da patinagem de velocidade. "Tanto por constantemente aparecer na Eurosport como por ser uma modalidade olímpica. O sonho de qualquer atleta é ir aos Jogos Olímpicos e vamos ver se as coisas resultam", acrescenta.
   Para já, conta, o mais difícil tem sido "apanhar a técnica". "Não há muitas diferenças, pois a base é a mesma. No entanto, o atrito é diferente e a superfície de gelo é muito mais deslizante. E são essas pequenas diferenças que fazem com que a técnica mude", explica Marta Nunes, que nos últimos tempos tem vindo a trabalhar com o luso-holandês Fausto Marreiros, o único português que participou nuns Jogos Olímpicos de Inverno na modalidade (em 1998, na cidade japonesa de Nagano).
   Mas apesar do sonho olímpico, Marta Nunes promete não abandonar a patinagem de velocidade "convencional", onde conta no currículo com diversos títulos de campeã nacional de patinagem de velocidade, além da presença em sete campeonatos da Europa e em dois Mundiais.
   "Vou tentar conciliar as duas coisas, até porque uma acaba por complementar a outra", afiança, garantindo que o essencial é ter "mais cuidado" na transição de uma época para outra. "Vai ser competição o ano inteiro e tudo passa pela questão das épocas serem bem planeadas e as transições serem bem feitas. É certo que poderá ser saturante, mas a competição motiva!", complementa.
 
Beja, Antuérpia, Haarlem…
   As metas traçadas por Marta Nunes podem parecer ambiciosas, mas a patinadora tem trabalhado arduamente para as alcançar. E tudo começou em Outubro do ano passado, quando se juntou à colega de equipa Andreia Nicolau e em busca de maior competição trocou a Beja por Antuérpia, na Bélgica. Um ano depois, em Outubro de 2010, nova mudança, desta feita para assentar "arraiais" na localidade holandesa de Haarlem, a pouco mais de 20 minutos de Amesterdão.
   "Sou uma pessoa que gosta de viver noutros países e de conhecer outras culturas, outras pessoas. E depois de ter estudado em Itália durante um semestre, sempre tive a ideia de um dia mais tarde ir para outro país", justifica a patinadora, que garante ter optado em primeira instância pela Bélgica por este país ser o "centro" da Europa em termos de patinagem de velocidade. "Existe mais competição e mais países onde podemos ir competir".
   Tudo para garantir o "passo seguinte" na patinagem de velocidade: "Tenho uma carreira bem preenchida, mas que ainda está a meio! Ainda há muito para atingir e a evolução que tive nos últimos anos em termos de campeonato da Europa faz-me pensar numa medalha. É certo que um lugar nos cinco primeiros será o meu objectivo para a próxima época, mas inconscientemente penso em tentar ganhar uma medalha", confessa.
Fonte: Correioalentejo

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

José de Brito Novo treinador do Entradense

Depois de Abelha ter pedido demissão, o antigo treinador dos juniores do Ourique da época passada volta agora a treinar o Entradense, clube que ele já conhece bem pois já la esteve.

Derrota Injusta do ROSAIRENSE no jogo disputado aqui em beja frente ao Despertar


















Campo super pesado, e cheio de agua. Vento, e alguma chuva.O Rosairense entrou sem medo no jogo, e assumiu o jogo logo de inicio, algo que foi uma constante ao longo do encontro.5min, já tinha feito 4 remates á baliza de Eduardo, sem ter feito golo, na primeira vez que o despertar chega á baliza de Nuno Patrício, faz golo, após uma desatenção de Nuno Daniel, que deixa o seu adversário directo livre de marcação, que através de um passe de Pepe, fica isolado, e na cara do guarda redes do rosário, faz o golo.O Rosário nunca baixou os braços, e nunca deixou de procurar o golo, dispõe de vários remates, por parte de Carlinhos, Juelson e Daniel, aos quais Eduardo se opôs sempre com grande qualidade.
Aos 22 minutos, o mesmo jogador que fez o primeiro golo, isola-se de novo, e Nuno patrício, com uma saída hesitante, acaba por fazer penalty, o qual Zé Cláudio, acaba por atirar ao lado.Os jogadores do Rosairense, tentaram sempre procurar o empate, e dominaram parte da primeira metade do jogo, algo que não se traduziu em golos.Na 2 parte, foi mais do mesmo, o Rosairense, encostou completamente o Despertar á sua baliza, jogando um futebol, apoiado na posse de bola, com construção da defesa ate ao ataque, sempre com a bola junto ao relvado. Sem usar o típico futebol do distritalão, “o pontapé pró ar”.A equipa do despertar ia defendendo como podia, e só a espaços se aproximava da área do Rosairense, mas sem perigo algum para a baliza de Nuno patrício.60min - A Equipa do Rosairense, com a entrada de Nuno Guerreiro, para o lugar de Nuno Daniel, passa a jogar com 3 defesas, arriscando completamente, com a intenção clara de traduzir o seu domínio em golos.
Aos 72, a sorte não teve com o jogador Daniel, que depois de um excelente trabalho individual, remata á baliza, bola que o guarda-redes Eduardo, mais uma vez, desvia, com a bola a bater no poste, e caprichosamente a voltar para as mãos do guardião do Despertar.Aos 83 o despertar, num canto faz o seu terceiro e ultimo remate do jogo a baliza, num cabeceamento de Rui Pepe, à figura de Nuno patrício.Aos 85, e neste momento o Rosairense jogava em 3-3-4 na casa do líder invicto do campeonato, e o Despertar defendia com todos os jogadores atrás da linha da bola, canto a favor do Rosairense, o guarda redes Nuno Patrício, é mandado subir á área adversaria, pelo treinador David Guerreiro, e acaba mesmo por ser o guarda-redes do Rosairense a cabecear a bola que raspa no poste da baliza do Despertar, com Eduardo completamente batido.O Rosairense, continuava a pressionar com tudo e todos a equipa de Beja, mas Eduardo e a defensiva do Despertar, iam adiando o golo, que parecia inevitável.

Aos 90+4, num canto contra o Rosário, e apenas com 4 homens na área Rosairense, visto que os outros 7 jogadores, se encontravam na linha de meio campo. O despertar aumenta a vantagem para 2-0, através de um canto directo, que o forte vento que se fazia sentir, ajudou a concretizar em golo.

Excelente Arbitragem 

Uma verdadeira injustiça esta derrota, devido ao excelente futebol que o Rosairense apresentou, merecia muito mais que este resultado. Faltou apenas sorte. E o Despertar pode agradecer.


 

CORTA MATO DE NATAL 2010 - Pedrógão 18.01.2010 - Resultados

Resultados_CortaMatoNatal.pdfResultados_CortaMatoNatal.pdf
169K   Visualizar   Transferência  
ClassColectiva_CortaMatoNatal.pdfClassColectiva_CortaMatoNatal.pdf
136K   Visualizar   Transferência  

Camp Dist Estrada

Anexamos o cartaz e regulamento definitivo do Campeonato Distrital de Estrada 2011.
Cumprimentos,
AABeja

__________________________________
Ass. de Atletismo de Beja                                          LYBERTY SEGUROS - Apoia o Atletismo Regional de Beja
R.: Salvador Allende n.º 10 - A   7800 - 331   BEJA
Tel./Fax: 284 325 447      
atletismo.beja@gmail.com           www.aabeja.org
                    Antes de imprimir este mail, verifique a sua necessidade. Proteja o Meio Ambiente...
Cartaz_CampDistEstrada.pdfCartaz_CampDistEstrada.pdf
170K   Visualizar   Transferência  
Comun08_CampDistEstrada.pdfComun08_CampDistEstrada.pdf
2347K   Visualizar   Transferência  

Ainda a situação do Desportivo de Beja

Porque há comentários que por a sua valia devem passar a notícias, publicamos o comentário do Sr. Eng. José Carlos Bengala, antigo presidente do Clube Desportivo de Beja, historiando um pouco os últimos anos do clube, e aquele que poderia ter sido o momento chave do clube: bomba + macdonalds. Por não termos solicitado autorização para o publicarmos, seremos muito rigorosos na selecção dos comentários:
"Infelizmente, o Eng. Parente está cheio de razão e, citando Pedro Abrunhosa, "deve fazer aquilo que tem de ser feito". Não querendo aborrecer os leitores do blog, vou resumir o motivo principal pelo qual o clube se encontra quase sem receitas e por isso com muito pouca capacidade para fazer face às despesas de gestão corrente, mesmo diminuindo este ano drasticamente o orçamento da equipa sénior. 1996-Chalaça recebe 53.000 contos da Idemitsu (actual Galp) por conta de um terreno prometido pela CM Beja (Carreira Marques)para construir uma gasolineira 1998-José Fernando substitui Chalaça e procura resolver o problema do terreno para o clube encaixar verba pelo negócio e criar receita fixa proveniente da exploração da bomba. Há problemas com a localização do terreno (Estádio Flávio Santos) pelo que a CM Beja passa o terreno para junto da circular perto do Parque de Feiras e Exposições. Setembro 2000-Reunião com José Fernando, José Bengala, 2 administradores da Galp e Carreira Marques. Ficou acordado que logo que houvesse um entendimento entre o Desportivo e a Galp, a CM Beja viabilizava o negócio, mesmo havendo na altura alguns entraves. Havia possibilidade de instalar um fast food junto à bomba. Janeiro 2001-O Desportivo depois de muitas e intensas negociações com a Galp e posteriormente com a Mac Donald, chega a acordo com estas 2 empresas (65.000 contos da Galp a descontar os 53.000 contos recebidos por Chalaça e 80.000 contos da Mac Donald pelo negócio e uma concessão a 25 anos com uma receita mensal a rondar os 1.000 contos de cada uma das empresas). Teria significado a independência financeira do Desportivo por muito tempo. O Desportivo apresenta à CM Beja os termos do negócio quando é informado que lhe foi retirado o terreno em reunião de câmara em Dezembro de 2000, sem que sequer tenha sido avisado desse facto. Janeiro de 2001-Reunião informal de José Bengala com Vereador Manuel Camacho a informá-lo do sucedido e de como o Desportivo perdeu a oportunidade de vir a ter um futuro risonho e estável em termos financeiros. O Vereador fica sensibilizado com a situação e propõe, em alternativa, um terreno junto à piscina coberta, mas que só daria para instalar a Mac Donald. Seguem-se novas reuniões com a Mac Donald e chega-se a um acordo de 100.000 contos pelo negócio (terreno maior e zona mais atractiva) mais a concessão a 25 anos e uma receita mensal a rondar os 1.000 contos. Negócio novamente falhado pois foi-nos dito que Carreira Marques estava comprometido com o Instituto Superior de Serviço Social para construir nesse terreno as futuras instalações. Essa instituição veio a falir e o terreno ainda hoje está livre e o Desportivo voltou a perder a oportunidade de criar receitas fixas. Depois de tudo isto, nunca mais voltou a haver nada de concreto, as pessoas cansaram-se e o Desportivo foi o grande prejudicado de toda esta história vivendo hoje num sufoco. Os sócios do Desportivo foram sempre informados nas Assembleias Gerais de todos estes pormenores, a comunicação social também teve sempre acesso a toda a informação, as pessoas por vezes têm a memória curta. Curiosamente ou talvez não, o Despertar tem o seu posto de combustível já há alguns anos (rotunda do Beja Parque Hotel), mesmo tendo sido o Desportivo o primeiro clube a mostrar essa pretensão e tendo recebido logo dinheiro como forma de adiantamento para a Idemitsu garantir o negócio. O Despertar fez uma boa gestão dessa situação, já construiu a sua sede e hoje é um clube com boas perspectivas de futuro (só tenho de elogiar esse facto). Infelizmente não deram ao Desportivo a mesma possibilidade. JC Bengala"

Campeonatos do Passado: 1966/67, 1967/68 e 1968/69

Campeonato 1966/67

1ª Divisão

CLUBE DESPORTIVO BEJA (Campeão)
DESPERTAR SPORTING CLUBE
FUTEBOL CLUBE SERPA
MOURA ATLÉTICO CLUBE
SABÓIA ATLÉTICO CLUBE
SPORT CLUBE MINEIRO ALJUSTRELENSE
SPORTING CLUBE CUBA
SPORTING CLUBE FERREIRENSE
SPORTING CLUBE SANTACLARENSE

Campeonato 1967/68

1ª Divisão

CLUBE DESPORTIVO BEJA (Campeão)
DESPERTAR SPORTING CLUBE
FUTEBOL CLUBE SERPA
MOURA ATLÉTICO CLUBE
SABÓIA ATLÉTICO CLUBE
SPORT CLUBE MINEIRO ALJUSTRELENSE
SPORTING CLUBE CUBA
SPORTING CLUBE FERREIRENSE

Campeonato 1968/69


1ª Divisão

DESPERTAR SPORTING CLUBE (Campeão)
FUTEBOL CLUBE SERPA
MOURA ATLÉTICO CLUBE
SPORTING CLUBE CUBA
SPORTING CLUBE FERREIRENSE

Glórias do passado e recente XXVI

Nome: Cipriano Joaquim Galveias Belchior
Data de Nascimento: 27/6/49
Naturalidade: Sines
Posição: Lateral-esquerdo





































66/67-Vasco da Gama Sines---jun.

67/68-Vasco da Gama Sines---III
68/69-Vasco da Gama Sines---III
69/70-Vasco da Gama Sines---III
70/71-Vasco da Gama Sines---III
71/72-Vasco da Gama Sines---III
72/73-Vasco da Gama Sines---III
73/74-Vasco da Gama Sines---III
74/75-Vasco da Gama Sines---III
75/76-Vasco da Gama Sines---III
76/77-Vasco da Gama Sines---II
77/78-Vasco da Gama Sines---II
78/79-Vasco da Gama Sines---III
79/80-Vasco da Gama Sines---III
80/81-Vasco da Gama Sines---II
81/82-Vasco da Gama Sines---II
82/83-Vasco da Gama Sines---II
83/84-Vasco da Gama Sines---III
84/85-Vasco da Gama Sines---III
85/86-Vasco da Gama Sines---III
86/87-Vasco da Gama Sines---III
87/88-Vasco da Gama Sines---III
88/89-Vasco da Gama Sines---III

Jogador histórico do Vasco da Gama, verdadeira "bandeira" do clube de Sines, Belchior jogou até aos 40 anos na defesa do clube alentejano, e actualmente ainda joga nos veteranos, sendo o principal dinamizador da secção. Belchior foi Campeão da Série F da 3ª Divisão em 75/76 e Campeão (de toda)a 3ª Divisão em 79/80. Em 2001 foi agraciado pela Cãmara Municipal de Sines com a Medalha de Mérito Desportivo.














Belchior(com José Antónioao lado), com a faixa de Campeão em 76


Resultados : Campeonato Nacional de JUvenis


21º Jornada

Imortal 6-0 Despertar


Depois de no Domingo ter conquistado o 2º ponto da competição, voltou as derrotas e as goleadas ontem quarta-feira frente ao Imortal por 6-0. Dia 9 de Janeiro disputa-se a última jornada do Campeonato na qual o Despertar recebe o Oeiras.

A partir daí estes jovens deixarão de competir, somente voltando à competição lá para Outubro. Da que pensar...
 

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Feliz Natal e Próspero Ano Novo

IVcronica Publicada no Jornal O As E o Povo pá? – Parte II

As infraestruturas desportivas em Beja (futeboleiras, entenda-se) estão a aumentar. O novo campo sintético emerge junto ao mais velhinho, que com 4 ou 5 anos de existência já aparenta algum desgaste, motivado pelo facto de ser pisado e repisado sem descanso os 7 dias da semana, desde horas do lanche até horas da ceia. O novo espaço já tem as “gaiolas da felicidade”, as balizas, sedentas por serem penetradas, violadas, comidas por avançados sedentos e defesas cabeçudos que também tentam molhar o bico. Uma vedação catita, verdinha, com entrada junto à piscina coberta, completando um complexo que ficará de facto bem bonito. Depois espera-se a electrificação! E que hajam balneários condizentes com o espaço, para evitar que 3 ou 4 equipas sejam obrigadas a utilizar a mesma cabine aos sábados de manhã, que os árbitros e as árbitras que agora aparecem e bem (dão um colorido bonito ao jogo as detentoras de outras “gaiolas da felicidade”, estas de mais difícil acesso, e onde poucas vezes surgem os golos de pontapé de sorte, para se marcar tem de se ter um jogo mais elaborado…) seja obrigados a dividir o mesmo espaço, com os problemas inerentes às mulheres e esposos dos homens do apito. E depois…depois vem o Povo pá! O tema da nossa anterior crónica e que, teimosamente, volta a ser esquecido. Continuarão de cabeça ao sol no Verão, e a apanhar com uma bela ventania e chuva no inverno. Continuarão a enlamear os pezinhos e a sujar os carros quando ousarem a ir à bola em tempos de chuva. Não se perspectivam mudanças ao nível do conforto dos visitantes, da criação de um bar de apoio, da construção de acessos em condições, de um parque de estacionamento digno, de uma cobertura nem que seja em meio peão. Depois queixamo-nos que as pessoas não aderem. Que a cidade não é bairrista e que a malta não vai à bola. Mas repare o estimado leitor neste pequeno pormenor : Está domingo em casa, acorda pela manhã, toma um bom banho quente. Vai ao Luís da Rocha beber um cafezinho e ver as modas. Troca 2 dedos de conversa e leva os putos à biblioteca, a brincar um pouco e ver as mamãs que por lá proliferam. No regresso, passa pelo Alemão e trás um frango assado. Quentinho para o almoço! Depois joga playstation com o puto e vê o Manchester dar duas ao Liverpool, enquanto convida o amigo para ir lanchar ao Pulo do Lobo e beber uma bejecas a ver o Benfica. Ou então…acorda, veste um oleado, carrega com os moços para o campo da bola, suja o carrinho todo que limpou na véspera à porta de casa com o aspirador ligado da janela e o balde de água (tudo isto com o seu impecável fato de treino adidas dos ciganos vestido) no lamaçal do sintético. Mal sai do carro mete os pés numa poça e o sacana do puto ao correr para ver o jogo, suja as calças todas com as alcaparras a baterem no rabo. Passa uma hora com um frio do caraças a levar com água nos olhos, e com as pernas encharcadas que o guarda-chuva só lhe tapa a careca. Ao intervalo se vai a barraca das bebidas aquecer ainda lhe chamam bêbado, e no regresso, os bancos de trás vêm todos sujos que o raio do gaiato resolveu brincar aos desenhos com os pés enlameados, leva uma rebocada da mulher porque com um frio destes foi à bola, que chegou atrasado e com o frango frio, estraga o fim de semana e 2ª feira vai com um resfriado trabalhar que até o nariz já ganhou ferrugem de tanto se assoar. Diga lá caro amigo, nestas condições, o que opta você? E depois…a cidade não quer, as pessoas não aparecem etc.
Nota final: Os clubes estão tesos, as dificuldades são muitas, a polícia está cara e a Associação leva o dinheiro todo mas…há quanto tempo não vemos à porta de jogo de camadas jovens dos clubes de Beja, as rifas para sortear um boné ou uma garrafa, que toda a gente contribui e que, quem sabe, davam para pagar uma parte dessas despesas?

IIIcronina publicada no jornal o As-E OPOvo Pá

Como está diferente o meu futebol! Quando antigamente ia ver os jogos do Desportivo de Beja ao Flávio dos Santos, o que toda a malta queria ver eram os golos do Xico Faria, as rabetas do Hilton, os voos do Chapita ou os aquecimentos do bailarino Jorge Lucindo, que era um regalo só de vê-lo! Beber um copo no bar, roer uma ervilhanas ou umas pipas, e mandar cá para fora umas bocas que muitas vezes nos apetece dizer ao nosso chefe, ao cliente que nos chateia ao balcão, ao funcionário público que está ao telemóvel e não nos atende, ou à nossa Maria que nos chateia cada vez que chegamos a casa a cheirar a bebida, mas que como a esses não as podemos mandar, é o árbitro que as paga aos fins de semana! Mais o gajo da “cabana”, que quando punha a cabecinha de fora para dar indicações ouvia logo das boas. Era difícil passar em Beja, pois o ambiente era forte, o público muito e a pressão positiva! Como está diferente a bola hoje em Beja! Qualquer equipa chega hoje à capital com uma falange de apoio quase sempre maior do que a que está cá. Seja a nível distrital, seja ao nível dos campeonatos nacionais de jovens, não é difícil serem os nossos a sentirem a pressão, junto ao ferro no sintético, ou junto à pista de tartan no Fernando Mamede, dos acompanhantes que as equipas trazem e que vêm para ver a bola. Porque em Beja quem vai à bola já não liga! Prefere ir para uma amena cavaqueira junto ao bar (à barracas das cervejas, qual bar), do que em ver o que se passa no campo! Ganhar ou perder é igual ao litro. Já não se vive a bola como antigamente, e principalmente o golo! A que Domingos chamou um dia o orgasmo do futebol (se bem que ainda estamos em idade de troca-lo por um verdadeiro, e aí que se lixe o jogo, convenhamos…) já não é vivido nos campos de Beja como antigamente. Ser autogolo, ou um golo de pontapé de bicicleta, é vivido com a mesma intensidade: um tímido “olha foi golo!”. Como se uma brasileira de 18 anos fosse igual a uma cabeluda de 40, com verrugas no nariz, mau cheiro da boca e buço até às orelhas! O meu futebol está diferente. Neste jornal olhamos para cima e assustamo-nos! Os nossos ilustres colegas de página transformam o meu jogo preferido em sistemas, estruturas, com referências a Garganta e Cunha e Silva e dizendo que “os comportamentos emergem da interacção de múltiplos constrangimentos”! A nossa singela crónica até se encolhe ao olhar para os 2 monstros que têm uma visão diferente sobre a bola. Mais técnica, mais ciêntifica, correcta do ponto de vista teórico e que revela um conhecimento que os estudos e as pesquisas lhe permitem alcançar, e disponibilizam para todos nós esse conteúdo. À nossa associação também já chegaram os “workshops”, os “projectos”, as “extruturas” com seleccionadores, treinadores, metodologias, etc. As melhorias são positivas, os termos técnicos também, mas o futebol em Beja tem de ser repensado. Por clubes, por Associação, por dirigentes. Voltar a chamar “o povo”. O que vê os “esquemas” mas por vezes não os percebem. O que paga as quotas para os dirigentes irem a “workshops”, os que criam os ambientes e dão o calor ao jogo! Para esses há que voltar a inventar o jogo. A torná-lo atractivo e a combater com o “futebol de tv”, os centros comerciais e os passeios ao fim de semana! A falta de dinheiro para subsídios, a falta de dirigentes para trabalhar, a falta de público a assistir, parte em muito da desvirtuação do “jogo da bola” na sua essência. Da popularidade que perdeu e da malha de intrigas, trocadilhos e mal dizer que se tornou o nosso futebol na nossa cidade. Sentem-se à mesa meus senhores! Peçam uma de tinto, umas linguiças, um panito do Zé Fernando, e conversem! Voltem a cativar as pessoas para o futebol em Beja, pois essas são a essência de qualquer actividade.
 

IICronica publicada no Jornal o As.

Contou-me um dia um amigo meu que na sua carreira de treinador a situação mais caricata que lhe tinha sucedido foi um miúdo pedir-lhe para lhe limpar o rabiosque, que na sua tenra idade e após o alívio antes do jogo começar (fruto do tal nervoso miudinho que faz a tripa dar a volta) não tinha tido tempo para chamar a mãe que nervosamente aguardava a saída do seu Ronaldo para a estreia num campo de futebol. Os treinadores das camadas jovens são os parentes pobres do nosso meio. Sem os holofotes da fama, das rádios, dos jornais, fazem tantas vezes de pais, de tutores, de formadores e de confidentes, de “professores” que ensinam não só a arte do pontapé na chicha mas também transmitem as regras básicas da conduta desportiva, do trabalho em equipa, do à vontade para tomar banho mostrando o pirilau ao menino do lado, sem ter medo de ser gozado por ter a “arma” mais pequena, gorda ou feia que o vizinho. Convivem os treinadores de futebol juvenil também com outra área fundamental: os paizinhos! Desde sempre os houve, desde sempre os haverá, e são por vezes um grande apoio aos treinadores na ajuda em toda a formação cívica de HOMENS que falámos atrás. Porém, outras vezes, são o grande problema! Para um pai o seu filho é sempre o melhor, seja a jogar, seja a cantar, seja a desenhar, seja a urinar com o arquinho mais alto, seja a mandar o piropo mais giro à empregada do café da esquina ou tão simplesmente a gozar com o amigo que é lagarto e não ganha a ninguém. Não se preocupa em que o filho pratique desporto em vez de andar na má vida, nem tão pouco lhe passa os valores de que nem sempre se pode ganhar, jogar, que nem sempre se tem de culpar o árbitro pela derrota, ou que terá de respeitar o vencedor da mesma forma que o deve fazer ao vencido quando ganha. Preocupa-se em que o filho jogue sempre! E quando não o faz o burro é o treinador! Não importa se do outro lado estão miúdos maiores, já com barba, que em 3 passadas “papam” o seu, ou que na própria equipa existem colegas que talvez sejam um pouco melhores que ele, ou se pura e simplesmente o miúdo goste da bola mas devesse andar, por exemplo, no andebol, onde só precisa dos pés para correr…o culpado é o treinador! Porque não sabe treinar, não sabe jogar, não sabe armar tacticamente a equipa, não sabe fazer as substituições, o treinador é o culpado de tudo! Os valores de base são substituídos por a sede de vitória, e é triste o que se vê por vezes aos sábados de manhã nos campos do nosso distrito: um rol de pais e mães sedentos de se fazerem ouvir, preocupados unicamente com os seus, achincalhando-se mutuamente, incentivando à agressividade contra árbitros, adversários, etc, e ajudando a estragar por vezes o trabalho semanal dos treinadores, ao darem indicações aos miúdos, qual treinador, que cheios de medo de levarem 2 arrochadas ao chegar a casa e de ficarem sem Playstation no resto do fim de semana, lá fazem o que o pai lhe manda e deixam de ouvir o treinador. Esse desgraçado que perde 3 dias da semana com os miúdos. Dos outros. Que ao fim de semana muitas vezes faz as sandes para os filhos. Dos outros. Que ajuda a vestir a roupa e a calçar as chuteiras aos filhos. Dos outros. Que limpa o ranho e por vezes o rabiosque aos filhos. Dos outros. Sim, dos outros. Porque os seus estão em casa. Sem pai para brincarem, sem pai para lhes dar o pequeno almoço, sem pai para o ajudar nos trabalhos de casa, sem pai para brincar ao sábado de manhã. Porque o pai está com outros meninos. Com os filhos dos outros. E talvez a pensar: “Mas afinal, o burro não serei eu?”

Crónica de Desportoembeja no "O Ás"

Foi uma Cronica Publicada no Jornal o As que passamos a divulgar aqui no nosso Blogue:

Convidados pelo Excelentíssimo Director Francisco Broco, a quem tiramos o chapéu (não vale a pena tirar o seu, pois está frio e de chuva) por o regresso do Ás, a escrever uma crónica mensal a sair na edição em papel, estamos orgulhosos e partilhamos com as poucas pessoas que decerto ainda não a viram no jornal (confesse, se não comprou já foi a casa do vizinho, ou ao café dar uma olhadela) a mesma. Contudo, deixamos o alerta: se queremos jornais e informação, é importante que participemos com a nossa pequena parte: comprar o dito! É apenas 1 euro. 2 bicas, 2 minis, meio corneto ou ainda 1 preservativo na farmácia da esquina. Num mês inteiro, não custa nada contribuir! É menos café que bebe, menos alcool que ingere, é Inverno não come gelados ou é menos uma que dá...pronto, uma que se dá com mais risco...
Aqui vai:
Bem haja o regressado O ÁS! Dos tempos do Sr. Delmiro, do Sr. José Saude, SRS com S grande, que durante tanto tempo “levaram às costas” o periódico Bejense, e “levaram nas costas” algumas vezes as críticas de quem não aceita o critério jornalístico. Sentimos a falta e saudamos o regresso, inicialmente na internet, mas de futuro nas bancas para lhe sentirmos o cheiro. Convidados a uma crónica, aceitámos de bom grado e é para nós uma honra poder colaborar neste espaço. Iremos abordar temas do quotidiano desportivo, com a seriedade e o humor a interagirem nos nossos textos, pois somos amantes do fenómeno futebolístico em Beja, e queremos ajudar a fazer algo por ele, mas pensamos que se pode falar sério a rir. A internet é hoje uma ferramenta de extrema importância para a sociedade. A informação não tem fronteiras, e hoje é possível estarmos no Brasil, rodeados de beldades, com os pezinhos de molho numa qualquer piscina de um qualquer resort, a beber uma qualquer caipirinha, e estarmos a ouvir os relatos do Teixeira Correia na nossa alentejana, a ver as notícias do Lúcio no site da Pax, ou ainda a enviar um comentário anónimo para o DesportoemBeja a dizer mal da própria sombra. No contexto desportivo, hoje muito se utiliza a internet. Na pesquisa de resultados, na consulta de planteis, na busca de informação que permita melhor conhecer e aprender do que se pratica por fora. Estranhamos o facto de, dos 5 clubes da cidade que praticam desportos colectivos com bola (sim, porque somos boleiros, para nós o desporto tem de ter bola), Clube Patinagem de Beja, CCD Bairro da Conceição, ACR Zona Azul, Despertar SC e CD Beja, apenas 1 deles ter reconhecido essa importância, a Zona Azul. A importância de mostrarmos o que fazemos, de nos publicitarmos no exterior, de conseguirmos que a nossa interioridade seja diminuída e a nossa voz chegue mais longe, de criarmos um espaço onde se crie o espírito de clube, onde se passem valores, onde se reconheça o mérito e onde se reúnam as fotografias dos craques, as crónicas dos jogos, as estatísticas dos miúdos, enfim, a vida da colectividade. Não basta queixarmo-nos de que estamos escondidos, chorarmos porque não nos ligam, há que agir! E nos tempos que correm, onde vendemos parafusos de Beja para o Porto, compramos bilhetes para a bola na África do Sul, e conhecemos meninas desinibidas no Hi5, marcar presença na agência global de informação é obrigatória, e é triste constatarmos que no nosso distrito muitos já a têm marcada, e os clubes da capital do Distrito continuam a marcar passo. Não haver um canal oficial, que fale a uma só voz, permitimos os boatos, as inverdades, as conversas de meia laranja e as polémicas criadas pelo ouve-se e diz-se. Em tempos de Natal, esperamos que o Pai Natal se lembre de deixar recado nos clubes da cidade: "não recebi email vosso na Lapónia, pesquisei e não vos encontrei, este ano não há prendas, que as cartas com o sêlo em cima já não servem". Boas festas

Fonte: http://.desportoembeja.blogspot.com/ ; email: desportoembeja@gmail.com

Presidente do Desportivo de Beja coloca como hipótese acabar com o futebol sénior!


Pedrada no charco em vésperas de Natal! Jorge Parente, em entrevista à antena Sul que pode ouvir clicando aqui, e avançando até próximodo minuto 9, faz um depoimento a ouvir com atenção, onde, alem de apontar o dedo à antiga equipa técnica, que "acusa" ter feito uma equipa jovem e com jogadores oriundos de muitos clubes, que está na base do insucesso desportivo, informa ainda que o clube no momento não dispõe de apoios que lhe permitam ir além da "actividade desportiva regular", não havendo capacidade de pagar subsídios. Para o futuro, aponta 3 cenários como possíveis: o terminar do futebol sénior, o seguir para séniores com os jogadores juniores e sem pagar subsídios ou...aparecer outra direcção com ideias distintas. Parente vê ainda como normal o facto de outros clubes irem ao mercado em Dezembro, coisa que o Desportivo não pode, e avança ainda com a possibililidade de alguns "mecenas" avançarem do próprio bolso com dinheiro para reforçar o plantel. Um depoimento forte que  deve fazer pensar todos os habitantes de Beja sobe o futuro que pretende para o clube da Rua do Sembrano. Para ouvir e comentar aqui no seu blog.
 

Alvorada 0 GDAmarelejense 0 relativo aSerie A da 2ª Divisão


                  Em jogo relativo à 7º Jornada da II Divisão da A.F.Beja o G.D.A. deslocou ao campo do Alvorada F.C. e o resultado foi um empate a zero golos. Num campo pelado em condições excelentes para a prática do futebol disputou-se um encontro viril mas sempre com um grande desportivismo de parte a parte. A crónica deste jogo é muito fácil de fazer, houve uma equipa que procurou ganhar o jogo nos primeiros 5 minutos de jogo e tambem nos ultimos 5, o Alvorada F.C., sempre através de bolas bombeadas para o interior da grande área do G.D.A.
                   Houve outra equipa, o G.D.A. que procurou ganhar o jogo nos restantes 80 minutos de jogo. Na primeira parte tivemos o dominio completo do jogo, criámos situações de finalização, de que se destaca um remate ao poste por poste de Ivo, várias situações que o Alvorada defendeu de forma atabalhoada, mas não conseguimos acertar na baliza contrária.
                   Na segunda parte mais do mesmo, dominio completo do G.D.A. fazendo uma boa circulação de bola, não deixando a equipa contrária sair do meio campo, mas resultados praticos nenhuns. A destacar as boas defesas do guarda redes contrário e um golo anulado por pretenso fora de jogo a Óscar.
                   No computo geral, perdemos 2 pontos mas saimos de cabeça bem erguida pois fizemos tudo o que era possivel para ganhar o jogo, excepto colocar a bola na baliza contrária.
                  Gostariamos de salientar o esforço e espirito de sacrificio manifestado por alguns jogadores, pois alguns jogaram lesionados ou adoentados, na sequencia de uma semana de treinos muito complicada.
                  A nossa equipa alinhou com Patala, Cucas, José Carlos, Quim, Tonico, Tó Carlos, Very, Álvaro, Óscar, Ivo e Hugo. Aos 57 minutos Márcio e Amendoa renderam Hugo e Óscar e aos 72 Bruno substituiu Álvaro. Hugo e Márcio foram admoestados com o cartão amarelo.
                  O Campeonato entra agora de férias sendo retomado no dia 9 de Janeiro com a recepção no Campo das Cancelinhas ao actual leader o Cuba.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

BARRANCOS FUTSAL e NS MOURA EMPATAM A 4 BOLAS

O BARRANCOS FUTSAL e NS MOURA empatam a 4 bolas em jogo a contar para a 2º Jornada do Campeonato Distrital de Futsal de Beja.
Num jogo com duas partes completamente distintas, foi o BARRANCOS FUTSAL que entrou melhor na partida, realizando uma 1ª parte de alto rendimento, marcando 4 golos em poucos minutos, terminando esta com uns claros 4-1.
Na 2ª parte o NS MOURA entrou melhor no jogo, fazendo pressão sobre o BARRANCOS e começou a diminuir a diferença no marcador. O BARRANCOS FUTSAL teve as suas oportunidades de ampliar a vantagem, com claras ocasiões de golo mas a não surgirem efeito. E como quem não marca sofre, o NS MOURA consegui ser mais eficaz chegando assim a igualdade já nos minutos finais do jogo.
Agora o Campeonato tem a paragem habitual de Natal regressando novamente a 14 de Janeiro, onde o BARRANCOS FUTSAL irá defrontar o GDC BARONIA em jogo a contar para a 3ª Jornada do Campeonato Distrital de Futsal de Beja.
 

Futsal - Crónica do Jogo SA Almodovarense vs GDC Baronia

SA Almodovarense e GDC Baronia disputaram na passada sexta-feira a 2ª jornada do campeonato distrital de futsal que terminou com a vitória do GDC Baronia por 5-3.
Um jogo que se previa muito equilibrado face aos resultados e ás prestações de ambas as equipas na taça de distrito, o mesmo não defraudou as expectativas sendo que a incerteza quanto ao vencedor do jogo se manteve até bem perto do final do encontro.
Sem nada o justificar, pois estavam decorridos somente 14s de jogo o GDC BaroniaHélder Braz. A resposta não tardou (30s depois) o SA Almodovarense empata por José Manuel após uma boa iniciativa individual reponha a igualdade no marcador.
O jogo, com o surgimento dos golos muito cedo, partiu-se e o estudo inicial que normalmente acontece não se verificou sendo que nos minutos logo a seguir assistiu-se a um futsal menos trabalhado e organizado por parte de ambas as equipas.
Com o decorrer dos minutos o GDC Baronia toma para si maior tempo de posse de bola tentando através de boas combinações desorganizar a boa postura defensiva da SA Almodovarense. Por sua vez os homens de Almodôvar exploravam muito bem os espaços deixados pela equipa do GDC Baronia na sua defensiva para lançar perigosos contra-ataques. A maior agressividade defensiva da equipa da SA Almodovarense veio a ser decisiva na marcha do marcador, pois cedo fizeram as 5 faltas permitidas antes dos livres directos o que os condicionou a partir daí. Duas dessas faltas surgiram de duas infracções do seu guarda-redes cometendo um penalti e um livre directo dos 10m, sendo ainda expulso da partida faltando ainda cerca de 9 minutos para jogar na primeira parte. O penalti acabou por seu desperdiçado por Jorge Santos enquanto que o livre directo foi convertido por Nuno Miguel colocando o GDC Baronia em vantagem por 2-1.
Nuno Miguel que no minuto a seguir na transformação de mais um livre directo aumenta a vantagem para 3-1.
A ganhar por 3-1 a equipa do GDC Baronia baixou um pouco os índices de concentração e quem aproveitou e muito bem foi a equipa da SA Almodovarense que aproveitou um desses erros para reduzir para 3-2 por Norberto.
A partir daqui e até ao intervalo assistiu-se ao duelo entre o ataque dos homens do GDC Baronia e a defesa da SA Almodovarense, pois o GDC Baronia lançou-se ao ataque com um futsal muito rápido e elaborado mas a defensiva e o guarda-redes adversário não deixaram que se avoluma-se a diferença no marcador.
Para a segunda parte esperava-se muita emoção pois o marcador estava equilibrado, apesar da vantagem do GDC Baronia, e foi realmente o que se veio a verificar.
Desta feita o GDC Baronia entrou de uma forma mais expectante em vez de pressionar alto como o tinha feito na primeira parte, optando então por baixar as linhas não se expondo tanto ao rápido contra-ataque adversário. Mas a equipa do SA Almodovarense mostrou-se também segura com a posse de bola apesar de sentir maiores dificuldades em chegar perto da baliza adversária com a bola controlada, usava então uma arma muito forte ao seu dispor que eram os remates de longa distância que por mais de uma vez incomodaram o guarda-redes Luís Lebre que com um punhado de boas defesas negava assim o golo aos homens da casa. Numa altura em que não se previa nenhum golo quer de um lado quer de outro pois estávamos a entrar na fase final do desafio eis que surge o golo da igualdade para a SA Almodovarense. Aproveitando uma ligeira desorganização defensiva do GDC Baronia Norberto colocava o resultado numa igualdade a três.
Ainda com sete minutos para jogar ambas as equipas retraíram-se um pouco e assistiu-se a uma fase de pouco risco de ambas as equipas apostadas agora mais em aproveitar um deslize do adversário para se colocar em vantagem.
E assim aconteceu. A maior experiência nestas andanças da equipa do GDC BaroniaJorge Santos aproveita dois erros quase seguidos da equipa da SA Almodovarense para fazer outros tantos golos e assim colocar o resultado final em 5-3.
Em resumo um jogo equilibrado, bem disputado com emoção e incerteza no marcador até ao fim. Um equipa de Almodôvar bem estruturada defensivamente vivendo mais do contra-ataque enquanto que o GDC Baronia apresentou um futsal mais trabalhado e mais pensado. Quanto a nós o resultado acaba por se justificar pois o GDC Baronia neste jogo acabou por ser, em espaços maiores do jogo uma equipa mais forte e que conseguiu criar mais oportunidades de verdadeiro perigo acabando por ser quem melhor lidou com as incidências do jogo.
coloca-se em vantagem na sequência de uma reposição lateral de bola que originou um auto-golo de notou-se na parte final.

(clique na imagem para ampliar)